jusbrasil.com.br
3 de Dezembro de 2016
    Adicione tópicos

    TJ-MG : 104330618608570011 MG 1.0433.06.186085-7/001(1)

    PENSÃO POR MORTE. IPSEMG. VIÚVO. ESTADO DE MINAS GERAIS. LEGITIMIDADE PASSIVA 'AD CAUSAM'.

    Tribunal de Justiça de Minas Gerais
    há 8 anos
    Processo
    104330618608570011 MG 1.0433.06.186085-7/001(1)
    Publicação
    06/02/2009
    Julgamento
    16 de Dezembro de 2008
    Relator
    ARMANDO FREIRE

    Ementa

    PENSÃO POR MORTE. IPSEMG. VIÚVO. ESTADO DE MINAS GERAIS. LEGITIMIDADE PASSIVA 'AD CAUSAM'.

    No caso em apreço, o reconhecimento judicial do pleiteado direito à pensão por morte repercutirá na esfera de interesse do IPSEMG e do ESTADO DE MINAS GERAIS. Ambos são gestores do Regime Próprio de Previdência Social (art. 48 da LCE 64/02) e, diante das peculiaridades, principalmente a data do provimento da falecida segurada, devem compor a lide como litisconsortes passivos necessários, em sintonia com o disposto no artigo 47 do CPC. PRESCRIÇÃO DO FUNDO DE DIREITO. NÃO OCORRÊNCIA. Não ocorre a prescrição qüinqüenal apta a fulminar o pretenso direito do autor se ele ajuizou a presente ação menos de 5 (cinco) anos após o indeferimento do seu requerimento administrativo de inclusão no rol de beneficiários da pensão por morte deixada por sua esposa, requerimento este feito menos de 1 (um) ano após cessado o pagamento da pensão à filha do casal, que era tida pelo IPSEMG como a única beneficiária. MÉRITO. ESPOSO DE EX-SEGURADA. TERMO INICIAL. LEI ESTADUAL 13.455/00. DATA DO FATO GERADOR DURANTE A VIGÊNCIA DA LEI ESTADUAL 9.380/86. AUTO-APLICABILIDADE DA NORMA CONSTITUCIONAL. TRATAMENTO ISONÔMICO. HERMENÊUTICA CONSTITUCIONAL. DIREITO CONSTITUCIONAL INCONDICIONADO. Independentemente de norma estadual específica, o viúvo de servidora faz jus ao recebimento da pensão por morte, uma vez que aludido benefício decorre do próprio texto constitucional. A ordem constitucional vigente a partir de 1988 norteia-se pelo princípio fundamental da igualdade entre homens e mulheres (artigo , inciso I, da CF/88). Neste contexto, está inserida a norma do artigo 201, inciso V, que estabelece a pensão por morte do segurado - homem ou mulher - ao cônjuge/companheiro e dependentes. Trata-se de norma que encerra direito auto-aplicável e que independe de lei regulamentadora para a sua viabilização plena, sendo, assim, possível a concessão do benefício previdenciário aos esposos (ainda que não inválidos) d

    Veja essa decisão na íntegra
    É gratuito. Basta se cadastrar.
    Disponível em: http://tj-mg.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/5977639/104330618608570011-mg-1043306186085-7-001-1

    0 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)