jusbrasil.com.br
6 de Julho de 2022
  • 2º Grau
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Tribunal de Justiça de Minas Gerais TJ-MG - Apelação Cível: AC 10027120201515001 MG

Tribunal de Justiça de Minas Gerais
há 7 anos

Detalhes da Jurisprudência

Processo

AC 10027120201515001 MG

Publicação

09/02/2015

Julgamento

3 de Fevereiro de 2015

Relator

Roberto Vasconcellos
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Ementa

EMENTA: APELAÇÃO CÍVEL - AÇÃO ANULATÓRIA - PUNIÇÃO ADMINISTRATIVA - CLUBE SOCIAL E RECREATIVO - SUSPENSÃO DE DEPENDENTE DE ASSOCIADO - FALTA DE OBSERVÂNCIA DO DEVIDO PROCESSO LEGAL - INEXISTÊNCIA DO CONTRADITÓRIO COM OPORTUNIDADE DE DEFESA - DECLARAÇÃO DE NULIDADE DO PROCEDIMENTO E DO ATO PUNITIVO - DANOS MORAIS - FATO EM QUE SE FUNDA O PEDIDO - INEXISTÊNCIA DE PROVA - PEDIDO INSUBSISTENTE. - Para punição disciplinar baseada em infração praticada por freqüentador de Agremiação Recreativa, é imperiosa a observância do devido processo legal, em contraditório, com oportunidade de defesa efetiva, nos termos do art. , LIV e LV, da Constituição Federal, assegurando-se ao acusado a participação em todas as fases do procedimento administrativo. - A irregularidade formal verificada no procedimento administrativo disciplinar, por si só, não determina reparação por dano moral, quando não provado o fato em que se estrutura o pedido de indenização, sob pena de se banalizar tal imposição e de transfigurá-la em mera fonte de enriquecimento. VV.

1. Na espécie, os danos decorrem do próprio fato, ou seja, da punição aplicada ao sócio de clube recreativo sem a observância do contraditório e da ampla defesa.
2. - Havendo razão ou não para que o Clube suspendesse o autor da ação, seu sócio dependente, o fato é que não pode menosprezar as normais inseridas na Constituição Federal que se aplicam tanto aos processos judiciais como os administrativos, sem sombra de dúvida alguma.
3 - Se a conduta do autor foi contrária as normas do clube, nem por isso o Clube deve ignorar os princípios que regulam o devido processo legal.
4 - Indenização fixada de acordo com os princípios da proporcionalidade e razoabilidade e atenta à natureza jurídica da suspensão.
Disponível em: https://tj-mg.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/847674792/apelacao-civel-ac-10027120201515001-mg

Informações relacionadas

Herberth H R Resende, Bacharel em Direito
Modeloshá 5 anos

[Modelo] Ação Declaratória de Nulidade de Exclusão de Sócios c/c Liminar Inaudita Altera Pars

Tribunal de Justiça de Minas Gerais
Jurisprudênciahá 2 anos

Tribunal de Justiça de Minas Gerais TJ-MG - Apelação Cível: AC 10702120166989001 MG

Petição Inicial - TJSP - Ação Declaratória de Nulidade de Ato com Pedido de Tutela Antecipada c/c Indenização por Danos Morais - Procedimento do Juizado Especial Cível

Caio Guimarães Fernandes, Advogado
Artigoshá 7 anos

Nulidades processuais e as suas perspectivas no Novo CPC

Tribunal de Justiça de Minas Gerais
Jurisprudênciahá 4 anos

Tribunal de Justiça de Minas Gerais TJ-MG - Apelação Cível: AC 10693150046656001 MG