jusbrasil.com.br
5 de Julho de 2022
  • 2º Grau
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Tribunal de Justiça de Minas Gerais TJ-MG - Ap Cível/Reex Necessário: AC 10016140075819001 MG

Tribunal de Justiça de Minas Gerais
há 7 anos

Detalhes da Jurisprudência

Processo

AC 10016140075819001 MG

Publicação

13/05/2015

Julgamento

28 de Abril de 2015

Relator

Geraldo Augusto
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Ementa

EMENTA: REEXAME NECESSÁRIO/APELAÇÃO CÍVEL - DIREITO À SAÚDE - FORNECIMENTO DE MEDICAMENTO - MULTA COMINATÓRIA PARA O CASO DE DESCUMPRIMENTO - POSSIBILIDADE - SENTENÇA MANTIDA.

- O arbitramento de multa cominatória para o caso de descumprimento da decisão judicial encontra expresso respaldo no art. 461, § 4º do Código de Processo Civil, quando a penalidade se revelar suficiente ou compatível com a obrigação que se quer resguardar. V.P.R EMENTA: APELAÇÃO CÍVEL/REEXAME NECESSÁRIO - AÇÃO CIVIL PÚBLICA - DIREITO À SAÚDE - PACIENTE MENOR DE IDADE - MEDICAMENTOS NÃO DISPONIBILIZADOS PELA REDE PÚBLICA DE SAÚDE - INEXISTÊNCIA DE EQUIVALENTES TERAPÊUTICOS FORNECIDOS PELO SUS - NECESSIDADE COMPROVADA - ATENDIMENTO INTEGRAL ASSEGURADO PELO ECA (LEI Nº 8.069/90)- HIPOSSUFICIÊNCIA - MUNICÍPIO DE ALFENAS - NEGATIVA - ILEGALIDADE - DIREITO CONSTITUCIONAL ASSEGURADO -MULTA PROCESSUAL FIXADA - DECOTE. O funcionamento do SUS é de responsabilidade solidária da União, dos Estados-membros e dos Municípios, de modo que qualquer dessas entidades tem legitimidade para figurar no pólo passivo de demanda que objetiva a garantia do acesso aos serviços públicos de saúde para pessoas desprovidas de recursos financeiros. Comprovada a necessidade do tratamento prescrito à paciente menor de idade, sua hipossuficiência declarada e, ainda, a ausência de contraprova acerca da dispensabilidade e ineficácia dos medicamentos requeridos, somada à inexistência de alternativas terapêuticas fornecidas pelo SUS, deve ser mantida a sentença que determinou ao Município de Alfenas o custeio do tratamento, mesmo porque prevalece, na hipótese, o direito à vida, devendo também ser respeitada a doutrina do atendimento integral a crianças e adolescentes, assegurado pelo ECA.
Disponível em: https://tj-mg.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/852743295/ap-civel-reex-necessario-ac-10016140075819001-mg